Blog Capital Social http://www.capitalsocial.cnt.br Sat, 29 Nov 2014 08:12:03 +0000 pt-br Utilize as informações contábeis para otimizar a estratégia do seu negócio http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/285-informacoes-contabeis-para-otimizar http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/285-informacoes-contabeis-para-otimizar Utilize as informações contábeis para otimizar a estratégia do seu negócio

Se você perguntar a um empresário qual o seu maior desejo, certamente ele vai dizer que é incrementar as vendas e aumentar os lucros da empresa, não é mesmo? Só que o caminho para conseguir isso nem sempre é muito claro.
Vamos mostrar que uma das ferramentas mais poderosas na gestão de uma empresa é o seu setor contábil. Confira a seguir como usar as informações da contabilidade para melhorar a administração da sua organização.

Instrumento de gestão

Ainda é muito comum que a contabilidade da empresa seja vista somente como fornecedora de informações tributárias, mas na gestão moderna isso já mudou. As informações geradas pela sua contabilidade podem ajudar a dizer se está na hora de botar o pé no freio, se é hora de pedir um empréstimo ou se é o momento certo de investir mais em novas contratações.

A contabilidade virou, definitivamente, um instrumento gerencial nas empresas e quem souber usar essas informações da melhor maneira, com certeza vai se destacar em relação à concorrência.

Investimentos futuros

Quanto tenho para investir no próximo ano? Seu setor contábil pode ajudar a chegar a uma resposta.

Um dos instrumentos que a contabilidade pode oferecer é o orçamento, isto é, uma série de previsões futuras que são feitas baseadas em dados passados. Com os dados do histórico da empresa vai ser possível determinar o montante que vai ser reservado para aplicação de recursos futuros.

Fique Atualizado, receba informações gratuitamente da Capital Social em seu email!

Gestão de estoque

Independente do tamanho da empresa, o controle de estoque é essencial. Não se pode comprar muito e correr o risco de descapitalização ou comprar pouco e deixar faltar produtos nas prateleiras. A contabilidade pode ajudar a controlar isso por meio de informações referentes ao inventário permanente e periódico. Fique de olho nelas para analisar como anda o seu controle de estoque.

Fluxo de caixa

O fluxo de caixa é uma informação básica da contabilidade que diz muito sobre a saúde financeira da empresa. Se é positivo, quer dizer que a empresa ganha mais do que gasta e tem capital para pensar em uma possível expansão. Por outro lado, se ele insiste em ficar no vermelho, pode ser o momento de pegar um empréstimo ou promover uma queima de estoque. De qualquer maneira, verificar o andamento do fluxo de caixa vai ajudar a decidir os próximos passos a serem tomados, principalmente nos planejamentos a curto prazo.

Planejamento tributário

A contabilidade pode ajudar a empresa a evitar impostos excessivos - mantendo-se dentro da lei, é claro. As informações tributárias são uma ótima ferramenta que a contabilidade pode deixar à disposição dos gestores. Com ela, é possível saber como anda a economia com o pagamento dos impostos e discutir a possibilidade de realocar esses recursos em novos projetos, por exemplo.

Viu como a contabilidade não pode estar dissociada da gestão da empresa? Ela pode fornecer informações importantes que vão ajudar a ganhar em competitividade e aproveitamento.

Na sua empresa vocês costumam trabalhar em conjunto com a contabilidade? Deixe um comentário e conte para a gente sua experiência.

]]>
leandro@capitalsocial.cnt.br (Leandro Batista de Oliveira) Blog Capital Social Thu, 27 Nov 2014 00:00:00 +0000
4 razões para ter um contador na sua empresa http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/283-4-razoes-para-um-contador-na-empresa http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/283-4-razoes-para-um-contador-na-empresa 4 razões para ter um contador na sua empresa

Empreender significa lidar com uma série de novas responsabilidades, e a principal delas é a financeira. Além de dominar as contas e o patrimônio empresarial, o gestor precisa se certificar de que todas as demonstrações contábeis estão sendo elaboradas de forma fidedigna, já que a apresentação de contas para o Fisco é fundamental para evitar quaisquer problemas. Tudo isso se soma ao fato de que a legislação tributária é extremamente complexa, tornando o pagamento de quaisquer impostos ou taxas um verdadeiro desafio.

A sorte dos empreendedores é que eles podem contar com profissionais extremamente qualificados para lidar com todas essas questões. Atualmente, os contadores exercem funções que vão muito além das meras atividades burocráticas, servindo como verdadeiros aliados durante todo o planejamento estratégico de um negócio. Além de determinarem o melhor modelo de tributação, muitas vezes são esses os profissionais que avaliam a saúde financeira da empresa. Nesse post, você vai conferir as 4 principais razões para ter um contador na sua empresa.

Escolha do melhor modelo de tributação

Apuração pelo lucro real ou presumido? O Simples Nacional é sempre a melhor opção para o microempreendedor? A verdade é que não há uma resposta pronta para todos esses questionamentos. A escolha do modelo tributário deve ser feita caso a caso e, por isso, nada melhor do que um contador para verificar qual será o melhor cenário para a sua empresa.

Dependendo das atividades exercidas por ela, pode ser que determinado modelo apresente isenções não alcançadas para empresas que se adéquem a outro, por exemplo. Um contador poderá esclarecer toda essa situação e até reduzir bastante a sua carga tributária.

Fique Atualizado, receba informações gratuitamente da Capital Social em seu email!

Demonstrações contábeis fidedignas

Outro papel importante da contabilidade é a formulação de demonstrações contábeis para os órgãos de fiscalização, como a Receita Federal e a Secretaria de Fazenda Estadual, por exemplo. Qualquer informação que não seja apresentada de forma clara poderá criar problemas e, em muitos dos casos, multas e juros de mora para o empreendedor. Nada melhor do que contar com um profissional que saiba exatamente como todos os trâmites burocráticos funcionam, e como devem ser apuradas todas as bases de cálculo dos tributos.

Informações estratégicas para o planejamento

O contador pode organizar todo o balanço patrimonial do empreendimento, além de realizar as demonstrações de resultado do exercício, o que pode contribuir para que o gestor tome as suas decisões com mais precisão. Não é raro encontrarmos empresas que não tomam conhecimento de todos os custos, encargos e receitas do seu negócio, dificultando qualquer tipo de projeção.

Vale lembrar, ainda, que a avaliação de todas as necessidades internas é uma das principais etapas para a elaboração de um planejamento estratégico, e as informações sobre as finanças da empresa é uma peça fundamental desse processo.

Monitoramento de impostos a recuperar

Por fim, outro benefício fundamental da contabilidade é o fato de que ela poderá fazer o monitoramento de todos os impostos a recuperar, ou seja, impostos indiretos como o ICMS, ISS e IPI. Muitas empresas perdem bastante dinheiro ao não realizar de forma apropriada a compensação desses tributos. O contador saberá exatamente qual é o montante de recuperáveis e fará a compensação correta com o que a empresa realmente deve para o Fisco, contribuindo para o equilíbrio de todas as contas.
Você já conta com um serviço de contabilidade de confiança? Acesse agora mesmo o nosso site e conheça todas as nossas soluções na área!

Caso ainda tenha alguma dúvida, deixe um comentário!

]]>
regina@capitalsocial.cnt.br (Regina Fernandes de Miranda Oliveira) Blog Capital Social Tue, 25 Nov 2014 00:00:00 +0000
Gestão e Práticas Administrativas: Como encantar e fidelizar meus clientes http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/282-gestao-e-praticas-administrativas http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/282-gestao-e-praticas-administrativas Gestão e Práticas Administrativas: Como encantar e fidelizar meus clientes

O que é mais barato: manter clientes antigos ou correr atrás de novos? Seguindo a intuição, podemos cair no erro de acreditar que prospectar pode trazer muito mais vantagens do que fidelizar. Afinal de contas, quanto mais vendas forem realizadas, melhor para os negócios, certo? Acontece que, em média, procurar clientes novos costuma sair cinco vezes mais caro do que criar alternativas para encantar e fidelizar a boa e velha freguesia.

O grande motivo? Além dos consumidores antigos fortalecerem a sua marca através do buzz marketing, o famoso boca a boca, eles costumam comprar mais frequentemente, estando também mais dispostos a experimentar quaisquer novidades que sejam oferecidas pela empresa. Fidelizar clientes é como criar bases sólidas para o crescimento de qualquer organização, e deve ser uma das prioridades do marketing.

O que observamos, por outro lado, é que existe pouca mobilização no sentido de criar condições para a manutenção de uma clientela fixa. Muito comumento, entre as principais causas para a perda clientes, estão a indiferença no atendimento e as reclamações não atendidas.

Todos esses fatores podem ser controlados internamente, certo? É por isso que resolvemos abordar, nesse post, algumas das principais alternativas para que você fidelize seus clientes!

Foco no recrutamento e treinamento de profissionais

Uma das principais causas para a perda de clientes é a falta de trato por parte da empresa, principalmente ligada aos profissionais de atendimento, seja durante as vendas ou no pós-venda. Por isso, é fundamental investir em recrutamento e treinamento, para garantir que todos esses profissionais se adequem perfeitamente ao perfil deste tipo de vaga. Lembre-se de que, atualmente, o consumidor está cada vez mais exigente, então é preciso prestar um serviço à sua altura.

Fique Atualizado, receba informações gratuitamente da Capital Social em seu email!

Fortalecendo os interesses financeiros

Outra estratégia bastante eficaz para fidelizar os consumidores é através de programas de fidelização, que pode funcionar através de pontos conquistados a cada compra feita. Esses programas normalmente ofertam descontos, produtos ou serviços gratuitos. Vale lembrar que, para conseguir eficácia com esse tipo de empreitada, é preciso definir normas claras para a participação, bem como estabelecer prazos de vigência dos pontos e o número máximo de benefícios que podem ser alcançados.

Redes sociais: relacionamento com clientes

Ao adentrar no universo das mídias sociais, sua empresa tem a oportunidade de ouvir os consumidores, o que pode facilitar o seu relacionamento com eles. Não se engane. Estar fora de uma rede social não significa que a sua empresa estará isenta de quaisquer críticas feitas por lá. Portanto, aproprie-se dessas ferramentas e faça bom uso delas, principalmente através da utilização de estratégias como o marketing de conteúdo e o monitoramento dessas redes.

Conheça bem cada um dos seus clientes

É claro que, se pensarmos em uma microempresa, a tarefa de identificar as peculiaridades de cada cliente é fácil. No entanto, as médias e grandes organizações já podem contar com uma série de softwares que ajudam a automatizar os processos de personalização de campanhas de marketing, permitindo um alto grau de segmentação, principalmente nas estratégias de e-mail marketing. Pode ter certeza de que um cliente lembrado é um cliente mais satisfeito.
Você já adota todas essas medidas para fidelizar seus clientes? Não perca mais tempo e conquiste agora mesmo a base para o seu crescimento!

Caso ainda tenha alguma dúvida, deixe um comentário!

]]>
leandro@capitalsocial.cnt.br (Leandro Batista de Oliveira) Blog Capital Social Tue, 18 Nov 2014 00:00:00 +0000
5 dicas para buscar e reter talentos na sua empresa http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/279-5-dicas-para-reter-talentos http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/279-5-dicas-para-reter-talentos 5 dicas para buscar e reter talentos na sua empresa

O maior capital de uma empresa são os funcionários. Essa máxima continua mais atual do que nunca, pois não é possível seguir em frente e crescer sem estimular seus talentos - e atrair novos.

Essa tarefa pode não ser fácil, é preciso trabalhar técnicas de motivação, pensar como head hunter e promover uma cultura de valorização da competência. No final das contas o gestor se vê com a seguinte questão: “como encontrar e reter talentos?”. Vamos tentar responder com as 5 dicas a seguir:

1 - Dê atenção aos recém contratados

Um passo importante para reter talentos é construir uma cultura empresarial desde o começo. Alguns consultores indicam que os primeiros 100 dias do trabalhador na nova empresa são cruciais, pois é nesse período que ele vai decidir se veste ou não a camisa da empresa. Uma boa tática é fortalecer nessa fase a integração dele com um tutor que o ajude a entender a dinâmica local. As chances do funcionário se engajar no projeto serão maiores.

2 - Crie um ambiente de trabalho flexível

Essa é uma questão polêmica e encontra muita resistência dentro das empresas. Com o equilíbrio entre pessoal e o profissional pesando cada vez mais na vida das pessoas, todo mundo está em busca de mais qualidade de vida e isso se traduz em uma maior flexibilidade na empresa.

Cada vez mais os funcionários trocam um salário alto por uma posição que permita mais tempo para outras coisas. As empresas que já entenderam isso permitem, por exemplo, que o trabalho seja feito de casa, criam horários mais flexíveis. Algumas inclusive instalam creches dentro do local de trabalho para facilitar a vida de quem tem filhos.

3 - Valorize o bom desempenho

É verdade que simplesmente aumentar o salário do funcionário não vai fazer com que ele permaneça na empresa. É preciso combinar remuneração com motivação. A questão salarial continua, sim, tendo um peso importante na retenção de talentos, mas a dica aqui é promover bonificações baseadas no desempenho. Faça de uma forma que seja justa e tente distribuir os benefícios a um número grande de pessoas.

Fique Atualizado, receba informações gratuitamente da Capital Social em seu email!

4 - Ofereça a possibilidade de crescer

A estagnação no trabalho é um dos fatores que mais desmotiva os funcionários e a falta de desafios é normalmente o que os leva a buscar outro lugar. Mesmo que o cargo não ofereça possibilidade de promoção, o crescimento pode ser horizontal. O funcionário pode começar a participar de projetos novos, quem sabe até de outros setores. Faça treinamentos ou invista em cursos. Tudo isso dará a eles a sensação de que estão progredindo e não parados no tempo.

5 - Defina os salários de maneira clara

Outro fator que influencia na debandada de funcionários é quando acham que seus colegas ganham mais do que eles injustamente, pois trabalham menos ou de forma pior. Tenha uma política salarial clara que seja justa e não gere críticas. Como fazer isso? Estabeleça padrões que sirvam de argumento para justificar porque uma pessoa ganha mais do que outra. Faça uma auto-análise da sua empresa em relação à política salarial. Se não tiver uma, é hora de começar a pensar no assunto.

Se você cria uma cultura em que as pessoas são valorizadas e acreditam no que estão fazendo, a resposta será mais comprometimento e menos rotatividade. A fama da empresa também vai se espalhar, despertando o interesse de muita gente boa no mercado.

E na sua empresa? Os talentos são valorizados? Deixe aqui seus comentários!

]]>
regina@capitalsocial.cnt.br (Regina Fernandes de Miranda Oliveira) Blog Capital Social Wed, 12 Nov 2014 00:00:00 +0000
Quer abrir uma empresa? Considere esses 5 fatores http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/278-5-fatores-abertura-de-empresa http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/278-5-fatores-abertura-de-empresa aberturadeempresa

Abrir o próprio negócio é uma importante decisão que beneficia não somente a vida do novo empresário, mas de toda a região onde ele irá atuar. Isso, se houver estudo, planejamento e muita dedicação. Mas não são somente estas ações que precisam ser praticadas para se alcançar o sucesso. Para dar este importante passo e conquistar o mercado, é preciso considerar os 5 fatores que você irá conhecer ao ler nosso post. Portanto, se você quer abrir uma empresa, leia já o que separamos para você!

Analise o seu perfil empreendedor

Antes de mais nada, é preciso que você analise o seu perfil. Você possui conhecimentos necessários à gestão de um negócio? Tem disposição para buscar, constantemente, novas fontes de conhecimentos que permitirão a realização de análise de cenários e tomada de decisões? É preciso que a pessoa que se disponha a ser empreendedora tenha habilidades em campos diversos, como administração, recursos humanos, vendas, etc. O autoconhecimento é imprescindível para uma avaliação sensata sobre as características importantes que todo bom empreendedor deve ter.

Tenha um plano de negócios

O desenvolvimento de um plano de negócios é crucial para o sucesso e perenidade do empreendimento. Por meio dele, você terá um importante documento que será o norteador de suas ações, pois ele oferece importantes informações sobre ameaças e oportunidades, pontos fortes e fracos que deverão ser reforçados ou superados, e outras relevantes questões como objetivos e metas. Sem contar que investidores sempre exigem conhecer o plano para ver a real viabilidade do empreendimento. Portanto, é imprescindível que você desenvolva bem o de sua empresa.

Reserve o seu capital

É importante que você tenha, além dos recursos necessários à implantação e execução inicial do empreendimento, uma reserva de capital que possa vir a cobrir possíveis eventualidades. Afinal, por mais bem planejado que tenha sido seu negócio, imprevistos acontecem e um bom empresário precisa estar preparado para conseguir passar por eles sem prejudicar bruscamente sua empresa.

Fique Atualizado, receba informações gratuitamente da Capital Social em seu email!

Conheça o regime de tributação

No Brasil, vigoram três modelos de tributação: o Simples Nacional, Lucro Real e Lucro Presumido. É preciso que o empreendedor conheça cada um deles para conseguir avaliar com precisão qual o que melhor se adequa à necessidade de sua empresa. E para isso, você pode — e deve — contar com o apoio de um contador. Por isso, vá ao encontro de um profissional como este para saber tudo o que você precisa sobre tributação.

Desenvolva valor para seus produtos/serviços

Um dos maiores diferenciais de mercado que uma empresa pode ter, não está tanto na inovação de seus produtos e serviços, como está para a criação de um valor que somente aquela marca terá. Isso porque um modelo é facilmente copiado, mas todo o subjetivo que tange à marca, dificilmente poderá ser. Então, assim como é importante oferecer produtos e serviços de qualidade, é necessário que o cliente viva uma experiência única com sua empresa, que o faça “sentir e ser” por estar consumindo algo que outros vendem, mas que só você é capaz de proporcionar (como status, estilo, pertencimento a um grupo, etc).

Abrir um negócio é tarefa para quem não teme novidades e tem prazer pelo novo. Se você é um desses, aplique já o que conheceu neste post e alcance os melhores lugares no mercado!

]]>
leandro@capitalsocial.cnt.br (Leandro Batista de Oliveira) Blog Capital Social Tue, 04 Nov 2014 00:00:00 +0000
O que você precisa saber antes de expandir seu negócio para a web http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/277-o-que-voce-precisa-saber-antes-de-expandir-seu-negocio-para-a-web http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/277-o-que-voce-precisa-saber-antes-de-expandir-seu-negocio-para-a-web O que você precisa saber antes de expandir seu negócio para a web

Se você é um empresário de sucesso, que possui lojas físicas e está querendo expandir seu negócio, mas ainda não sabe como, este post foi feito para você!

Um mercado que não para de crescer e que recebe bem qualquer tipo de segmento é a web. Investir em uma loja virtual é extremamente rentável, pois os custos são menores e a visibilidade muito maior. Se você gostou da ideia de ter uma e-commerce, fique por dentro de tudo o que você precisa saber sobre os impostos antes de expandir seu negócio para a web lendo o texto abaixo!

Entenda a tributação no e-commerce de mercadorias

Em um e-commerce, assim como em algumas lojas fisicas, as empresas são divididas em duas categorias com tributações diferentes. A primeira é aquela onde há revenda é de produtos adquiridos de terceiros; enquanto na segunda, as lojas virtuais são um canal de vendas do próprio fabricante. Existe também aquelas em que as vendas são o mix das duas - revenda de mercadorias/produtos de terceiros e fabricação própria.

Nas lojas online da primeira categoria, o imposto depende do fato de o comprador (pessoa física ou jurídica) ser ou não contribuinte do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias). Caso ele o seja, a alíquota cobrada é a interestadual. Caso contrário, incide o ICMS adotado no estado em que a loja virtual foi aberta (e não a do estado onde o comprador se encontra). Haverá também a incisão de ICMS substituto sobre as vendas (quando for o caso), o COFINS e PIS sobre o faturamento da loja, o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido, a serem calculados sobre o resultado operacional do negócio.

Já para as empresas da segunda categoria, isto é, que vendem produtos fabricados por elas mesmas, assim como para importadores de mercadorias, além de todos os impostos já citados, incidirá também o IPI – Imposto Sobre Produtos Industrializados, é claro que existe alguns produtos que de acordo com a legislação do momento pode ter incentivos e ser isento do referido imposto.

Saiba como funciona a tributação no e-commerce de serviços

Nas lojas virtuais onde há venda de prestação de serviços, incidirão sobre o valor dos trabalhos prestados o Imposto sobre Serviços (ISS), COFINS, PIS, além do IRPJ e CSLL sobre o resultado operacional.

Em alguns tipos de prestação de serviços, será necessário fazer também a retenção na fonte do ISS, COFINS, PIS, CSLL e IRPJ. Para saber se este é seu caso, procure ajuda de um profissional.

Fique Atualizado, receba informações gratuitamente da Capital Social em seu email!

Conte com o apoio de um contador

Mesmo que você esteja por dentro de toda a tributação obrigatória para abrir sua loja virtual, é importante que você conte com o apoio de um contador para se certificar do funcionamento pleno das atividades comerciais de seu empreendimento. Ele também será extremamente valioso na análise do regime tributário em que a empresa se enquadra, dizendo qual é o melhor regime para seu tipo de negócio, além de ser o profissional que acompanha as mudanças da legislação.

Como dito anteriormente, adentrar o mercado virtual é muito lucrativo, desde que sejam observadas as normas que regulamentam este cenário. Com a ajuda de uma boa empresa de contabilidade, você não corre riscos de ser multado e pode se beneficiar de todas as vantagens que um comércio global oferece.

Ficou com alguma dúvida? Ou quer compartilhar seus conhecimentos sobre o assunto? Escreva para a gente utilizando o campo abaixo!

]]>
regina@capitalsocial.cnt.br (Regina Fernandes de Miranda Oliveira) Blog Capital Social Fri, 31 Oct 2014 12:36:52 +0000
Os 10 mandamentos da boa contabilidade para as empresas http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/276-os-10-mandamentos-da-boa-contabilidade-para-as-empresas http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/276-os-10-mandamentos-da-boa-contabilidade-para-as-empresas 10mandamentosdacontabilidade

Sabemos que o monitoramento e o gerenciamento das nossas finanças determina o sucesso do nosso negócio, certo? Por isso, os métodos para documentar vendas, despesas e alguns outros dados básicos são essenciais para o desenvolvimento das companhias e os proprietários precisam seguir de perto cada um destes procedimentos.

Você já se perguntou quais os erros contábeis mais comuns nas companhias? No texto de hoje, para facilitar a resolução e estabelecer um acompanhamento seguro da sua empresa, lhe apresentaremos quais são os 10 mandamentos da boa contabilidade. Prepare-se, pois com medidas simples e baratas serão evitados diversos riscos potenciais.

1. Manterás as informações financeiras atualizadas

Criar uma rotina para atualizar as demonstrações financeiras é uma boa forma de começar a transformar sua empresa. Os demonstrativos de fluxo de caixa, por exemplo, são excelentes para auxiliar os administradores nas tomadas de decisões.

Tenha em mente que o fluxo de caixa nada mais é do que os montantes recebidos e gastos por uma corporação, durante um período de tempo. Vale dizer que o controle bem-feito dele colabora para a saúde financeira da organização, pois deixa evidente a volatilidade das receitas, os custos fixos e os custos variáveis. O ideal é que estas demonstrações sejam elaboradas mensalmente.

2. Farás a projeção do seu orçamento

Enquanto o fluxo de caixa se refere à movimentação financeira já realizada, o orçamento é o seu equivalente para períodos futuros.

Portanto, nunca delegue as análises de fluxos de caixa e nem as projeções de orçamentos para outras pessoas. Lembre-se que negligenciar estes aspectos certamente colocará em risco a vida útil da sua empresa. Também não superestime suas projeções de vendas e nem menospreze suas despesas.

3. Contratarás uma empresa especializada

Ter à sua disposição um contador ou uma empresa especializada na prestação de serviços de contabilidade é fundamental para a saúde financeira do seu negócio.

Esse é um investimento necessário e barato, principalmente com relação ao retorno de benefícios que sua organização terá por contar com um suporte de qualidade, e especializado, no apoio à gestão.

Uma boa empresa de contabilidade acompanha e informa sobre os eventos ocorridos, apresenta a situação econômica do seu negócio de maneira recorrente e ainda auxilia, tanto no processo de planejamento quanto no da tomada de decisão. Além disso, permite que você tenha tranquilidade necessária para que o proprietário se concentre apenas na sua atividade de gestão.

4. Manterás os seus registros organizados e atualizados

A contratação de uma empresa especializada em contabilidade não significa que você não precisará mais se preocupar com a organização dos seus métodos. Lembre-se que, ao ter atualizações inadequadas, você poderá ter problemas bastante onerosos. Por isso, mantenha seus registros sempre precisos, coordenados e disponíveis.

Fique Atualizado, receba informações gratuitamente da Capital Social em seu email!

5. Aprenderás os conhecimentos básicos de contabilidade

Mesmo com a contratação de uma empresa especializada, o proprietário precisa conhecer os tributos e os encargos que incidem na atividade de sua instituição. Além disso, o recolhimento dos valores também deve ser acompanhado bem de perto. Saiba que ignorar estas taxas pode acarretar em erros graves – como retenções de impostos indevidos e até falta de pagamentos.

Por isso, peça periodicamente à sua empresa contábil a certidão negativa dos principais órgãos como Receita Federal, Secretaria da Fazenda e Prefeitura Municipal. Estas certidões indicarão que sua firma não possui pendências e lhe deixará mais tranquilo quanto à regularidade do seu negócio.

6. Não misturarás os bens pessoais com os ativos da empresa

Este é um dos erros mais comuns, principalmente nas empresas familiares. Você deve separar o dinheiro dos negócios do que será utilizado como lucro, pelo proprietário. Faça isso também nos registros. Tenha sempre em mente que é fundamental distinguir os registros da empresa dos registros pessoais para manter tudo bem organizado.

7. Contarás com um bom software

A seleção de um software para gerir a sua contabilidade é seguramente uma das decisões mais importantes que você fará para a sua companhia. Faça uma minuciosa pesquisa e busque referência nas experiências de sucesso.

Atualmente, é possível obter produtos de alta tecnologia sem precisar pagar muito por isso. Os principais softwares, hoje em dia, ajudam a evitar os principais, e mais comuns, problemas de contabilidade.

8. Realizarás auditorias periódicas

Os procedimentos internos devem ser avaliados periodicamente. Portanto, é aconselhável a realização de auditorias para validar as práticas que estão sendo adotadas e emitir pareceres com sugestões e opiniões sobre estes processos.

Fique Atualizado, receba informações gratuitamente da Capital Social em seu email!

9. Pagarás as suas contas em dia e guardarás todos os seus documentos

Lembre-se também que a empresa contábil nunca deverá pagar as contas da sua empresa. Os vencimentos são passados para você, mas é o proprietário quem deve cuidar do pagamento.

Os documentos arquivados também são de responsabilidade do dono do negócio, assim como os registros em todas as repartições fiscais, o registro de pessoa jurídica e o alvará de funcionamento.

10. Nunca confiarás em acordos verbais

Os acordos e os contratos devem ser sempre registrados em documentos, principalmente os relativos a compras, assim como os que envolvem dinheiro. Por isso, evite manter compromissos firmados apenas verbalmente.

Como você pôde perceber, não precisa gastar valores desproporcionais ou perder um tempo que você não tem para ter uma boa contabilidade. Tenha consigo estes mandamentos, pois eles serão fundamentais para que a sua organização seja bem-sucedida.

Se você ainda tem alguma dúvida, deixe-a para a gente nos comentários que lhe ajudaremos.

]]>
leandro@capitalsocial.cnt.br (Leandro Batista de Oliveira) Blog Capital Social Tue, 21 Oct 2014 00:00:00 +0000
O eSocial impacta a minha empresa? http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/275-o-esocial-impacta-a-minha-empresa http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/275-o-esocial-impacta-a-minha-empresa O eSocial impacta a minha empresa?

Você já ouviu falar sobre o eSocial? Este é um projeto do governo federal que vai agrupar em uma só ferramenta digital todas as informações previdenciárias, trabalhistas e tributárias dos empregados brasileiros, de forma que os empregadores passarão a se valer de tal tecnologia para enviar as informações pertinentes aos órgãos de controle e fiscalização do Estado.

Apesar de o novo sistema não alterar as legislações existentes, ele vai significar mudanças relevantes quanto aos processos internos de controles e registros nas empresas. Como o eSocial passará a ser obrigatório já a partir de 2015 para todos os empregadores físicos e jurídicos, incluindo-se o doméstico, é essencial que as organizações comecem a se preparar o quanto antes. Então, que mudanças isso vai trazer para sua empresa?

Deve-se ajustar a cultura da empresa

O novo sistema eletrônico vai fazer com que os órgãos governamentais tenham acesso amplo às informações acerca das obrigações decorrentes das relações trabalhistas e previdenciárias. Isso significa que, com o tempo, a Receita Federal e outros órgãos afins conseguirão controlar o cruzamento de dados e números com maior consistência, deixando mais difícil escamotear os rendimentos não declarados.

Dessa forma, os dados que não eram usualmente registrados pela empresa que age fora das determinações legais, desde a data certa de admissão de novos funcionários ou o controle da jornada de trabalho, por exemplo, deverão passar a ser inseridos corretamente no sistema. Vale dizer que há risco de receber multas pesadas se a comunicação de dados não for feita ou ainda que seja realizada fora do prazo.

É preciso aprimorar a gestão de pessoas

O departamento de pessoal ou os colaboradores que cuidam dos recursos humanos na firma deverão, antes de mais nada, adaptar-se à nova tecnologia, de maneira a cumprir os corretos lançamentos no sistema da empresa, para monitoramento interno, e também no eSocial. E é aí, talvez, onde o eSocial poderá trazer mais despesas para sua empresa: talvez seja necessário rever práticas de registro e contratar mais profissionais para lidar com todas as tarefas dentro dos prazos exigidos.

Ou seja, as novas rotinas poderão causar excesso de pressão por conta da sobrecarga de trabalho, mas isso poderá ser retificado com o planejamento indispensável para se adequar a empresa ao eSocial.

Fique Atualizado, receba informações gratuitamente da Capital Social em seu email!

Deve-se cuidar antecipadamente das folhas de pagamento

Ainda que o sistema interno e as práticas da empresa estejam adaptados para o eSocial, os números, dados e informações de lançamento devem estar disponíveis e apurados para serem enviados dentro do prazo. Isso significa que, se a empresa estiver acostumada a fazer tal tarefa às vésperas do cálculo das folhas de pagamento dos empregados, precisará implementar outro mecanismo de registro e organização desses elementos, de preferência automatizado, a fim de evitar o retrabalho e correções exaustivas.

É importante estudar o eSocial e fazer um adequado plano de ações para sua empresa, diante das demandas que se mostrarem imprescindíveis para tudo correr bem. Já que o objetivo do programa é tornar mais efetivo o cumprimento das legislações trabalhistas e previdenciárias, diminuindo-se a sonegação fiscal e reduzindo as fraudes na Previdência Social, não há como escapar das mudanças que a empresa terá que implementar.

Ainda tem alguma dúvida? Deixe um comentário e participe da conversa!

]]>
regina@capitalsocial.cnt.br (Regina Fernandes de Miranda Oliveira) Blog Capital Social Wed, 15 Oct 2014 00:00:00 +0000
Matriz de priorização: um guia básico para organizar a gestão do seu negócio http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/274-matriz-de-priorizacao http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/274-matriz-de-priorizacao matrizdepriorizacao

A sensação de que o tempo está passando mais depressa já é lugar-comum no dia a dia das pessoas e das organizações. Por toda parte vemos profissionais gastando toda a sua energia para apagar incêndios e alegando a falta de tempo para promover verdadeiras melhorias na forma de trabalhar.

Em função disso, as ferramentas que ajudam as empresas a se orientarem em meio a tantas questões urgentes não podem ser descartadas pelos empreendedores. Conheça a matriz de priorização e saiba como ela ajuda a organizar a gestão do seu negócio:

Crie uma tabela

Uma matriz de priorização nada mais é do que uma tabela que ajuda uma empresa a identificar quais problemas em suas operações e negócios devem ser priorizados. Para criar uma matriz personalizada para sua empresa, basta inserir nas linhas dela todos os problemas a serem analisados e comparados, como cancelamentos de clientes, fidelização baixa, custos elevados e outros fatores que precisam ser otimizados. Já nas colunas, será necessário inserir quais aspectos do problema serão avaliados, como o impacto sobre o negócio e/ou sua urgência, por exemplo.

Defina graus de importância

Após criar a tabela, será necessário estabelecer, ainda, uma escala de importância para os aspectos avaliados na coluna. É comum vermos a utilização da escala de 1 a 5, em que 1 é atribuído aos problemas com nenhuma relevância e 5 àqueles mais preocupantes. Entre eles, ficam os graus intermediários, que podem ser definidos pela sua empresa.

Atribua notas

Agora que a tabela está pronta e os graus de importância definidos, chegou a hora de atribuir as notas corretas a cada problema. Nesse momento, é importante que a avaliação seja feita em conjunto por pessoas que conheçam a questão. Dessa forma, evita-se que a priorização seja feita somente a partir de uma perspectiva, que pode não ser representativa da realidade da organização.

Fique Atualizado, receba informações gratuitamente da Capital Social em seu email!

Some os resultados

Com todas as notas atribuídas a cada problema, o último passo é somar a pontuação de cada um deles e depois organizá-los do maior para o menor. No topo da lista estarão os problemas com maior pontuação, ou seja, aqueles que deverão ser priorizados pela empresa.

Fique de olho nas alternativas

Lembre-se de que esse modelo de matriz também pode ser usado, logo em seguida, para avaliar as possíveis soluções para os problemas prioritários.

Para isso, basta substituir os problemas por soluções (nas linhas) e incluir nos graus de importância (colunas) os aspectos a serem analisados, como benefícios da solução, a satisfação dos clientes, os investimentos necessários e outros critérios que possam ajudar a orientar as equipes.

Outro aspecto importante a ser considerado é que, nos casos mais complexos, também é preciso que a empresa avalie se as soluções devem ser implantadas de forma sequencial, caso dependam uma das outras. Isso evita o investimento de tempo, esforço e recursos em iniciativas que não trarão resultados somente pelo fato de não terem o apoio de outras predecessoras.

E você? Acredita que a matriz de priorização é uma ferramenta útil para que as empresas solucionem seus problemas no dia a dia? Deixe seu comentário!

]]>
leandro@capitalsocial.cnt.br (Leandro Batista de Oliveira) Blog Capital Social Tue, 07 Oct 2014 00:00:00 +0000
Quero abrir meu negócio, e agora? http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/273-quero-abrir-meu-negocio-e-agora http://www.capitalsocial.cnt.br/index.php/pagina-blog/item/273-quero-abrir-meu-negocio-e-agora Quero abrir meu negócio, e agora?

Abrir o próprio negócio é um dos sonhos mais recorrentes da maioria dos brasileiros. Talvez esse seja um dos motivos para que o Brasil figure como um dos países mais empreendedores do mundo, segundo um estudo organizado pela Babson College, nos Estados Unidos. No entanto, apesar desse espírito empreendedor, abrir uma empresa no Brasil é um assunto sério, que requer uma pesquisa ampla e muitas avaliações prévias.

Como se não bastasse a complexa legislação que envolve a abertura de um negócio por aqui — com seus diversos procedimentos e documentos —, as novas responsabilidades que acompanham esse momento aparecem aos montes, exigindo um conhecimento extremo sobre a área do mercado que está prestes a ser explorada. Por esses e outros motivos, muitos empreendedores se veem completamente perdidos quando chega a hora de realmente começar o processo de investimento no seu próprio negócio.

Neste post, você vai conhecer alguns dos principais passos a serem dados antes de começar a produzir. Confira:

Avalie o mercado

Antes de começar os procedimentos burocráticos que darão início à sua empresa, o aspirante a empreendedor deve fazer uma grande avaliação do mercado. Primeiramente, ele deve verificar quem serão os seus concorrentes e em qual área irá atuar. O setor está em alta ou em baixa? Quais são as oportunidades ainda não exploradas? Quais são os riscos? Um plano baseado apenas em previsões ou hipóteses não fundamentadas não nos vale de muita coisa, concorda? Um estudo embasado faz-se necessário para entender como você se posicionará no mercado. Também é preciso entender que novas responsabilidades surgirão, sendo que uma das maiores é a financeira. Em alguns casos, fazer cursos de capacitação na área pode ser fundamental para não ter que enfrentar problemas maiores no futuro.

Informe-se com seu contador

É fundamental ter o apoio de profissionais que o ajudem durante todo o processo de elaboração da empresa. Um consultor financeiro, por exemplo, pode ser de excelente valia, mas nada supera o apoio de um contador. Isso porque, na fase inicial do empreendimento, antes mesmo da abertura, é preciso, por exemplo, definir o modelo de tributação em que ela irá se enquadrar, passo importante para reduzir custos com esse tipo de encargo. Além disso, ao conhecer os possíveis custos que terá pelo caminho, é possível delimitar melhor como será gerido o aporte de capital no futuro.

Fique Atualizado, receba informações gratuitamente da Capital Social em seu email!

Providencie a papelada

É importante ressaltar que todo o processo de composição de uma empresa incluirá uma série de custos iniciais. Segundo uma pesquisa realizada pela Firjan, o custo médio para essa abertura costuma ser de R$2.038,00, podendo variar em até 274%, dependendo do munícipio em que o processo for instaurado. Fora isso, é preciso, nesse início, elaborar um contrato social — que definirá, por exemplo, o objeto social do negócio, as atividades fundamentais da empresa e seu modelo tributário —, reconhecê-lo em cartório, e, por fim, apresentá-lo na Receita Federal, na Secretaria Estadual de Fazenda (SEFAZ) e na prefeitura.

Pronto agora para abrir sua empresa ou ainda ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário!

]]>
regina@capitalsocial.cnt.br (Regina Fernandes de Miranda Oliveira) Blog Capital Social Wed, 01 Oct 2014 00:00:00 +0000